Barroso da Costa

Caí num monte de lixo, era noite, um gato passou por cima de mim, arranhando meu rosto, um gosto ferruginoso enchia minha boca, cuspi, faltava um incisivo, os tornozelos formigavam e os pulsos ardiam nos pontos em que estavam vermelhos pela marca das cordas. Não dava tempo. Ouvi vozes, passos

Leia Mais
Fábio Almeida

  Eu ia escrever:    Ronaldinho Gaúcho chegou ao Atlético. Em suas primeiras entrevistas, dirá que apesar de outras alternativas, optou pelo Atlético pelo projeto apresentado e a estrutura que o clube possui, que é uma das melhores do país. Além do mais, a torcida do Atlético é diferente de

Leia Mais
O que que há

A terceira edição do projeto “Hoje é Dia de Primeira” promete mais uma tarde cultural no Morro São Sebastião, em Ouro Preto. No domingo, dia 3, a partir das 15h, a Banca do Distrito promove a sua tradicional roda de samba para resgatar os grandes nomes da música popular brasileira.

Leia Mais
Fábio Almeida

Ainda quando era usador do uniforme do IMACO, assistí ao filme “Os dez mandamentos”, no saudoso Cine Independência, com o galã Charlton Heston representando Moisés, da pequena cesta resgatada no rio, ao velho ancião de barbas brancas, que abria o mar com seu cajado. Quanta emoção! O filme durou quatro

Leia Mais
Barroso da Costa

Na grande cidade pós-moderna, o progresso um dia cultuado se traveste de barbárie. Nela jaz o sonho de felicidade fragmentado em rápidos prazeres. A produção se aliena no consumo, num movimento intenso e ininterrupto que não permite que o presente aceda ao futuro. Um perene agora de necessidades insatisfeitas e

Leia Mais
O que que há

  No último dia 31 de março, foi inaugurada a quinta unidade do Programa Fábricas de Cultura, implantado pela Secretaria da Cultura por meio de contrato firmado entre o Governo do Estado de São Paulo e o Banco Interamericano de Desenvolvimento. Trata-se da Fábrica de Cultura de Vila Nova Cachoeirinha,

Leia Mais
Robert de Andrade

  O caso Carolina Dieckmann é um bom exemplo para se pensar o limite tênue que há entre pornografia e sensualidade. A primeira palavra provém dos vocábulos gregos “pornos” (prostituta) e “graphô” (escrever, gravar), que pode ser entendido como coleção de gravuras ou pinturas obscenas, carácter obsceno de uma publicação,

Leia Mais
Textos de colaboradores

    Estava  lá,  em pé. O  vento batia  gelado  em  seu  rosto  enquanto os  dedos  do  pé  se  encolhiam  firmemente,  como  que  agarrando  o parapeito.  Ah,  sim,  ele  estava  na  beira  do  parapeito,  no  topo  do prédio.  Talvez  esse  detalhe  seja  importante  nessa  história.  Já  a aparência  do  personagem 

Leia Mais
Robert de Andrade

Cem anos de solidão é, sem dúvida, um dos melhores livros que já li. Jamais vou me esquecer do Coronel Aureliano Buendía, que morreu sozinho, fazendo peixinhos de ouro.  O mais incrível desta passagem é que ele vendia os peixinhos por uma moeda de ouro, dela fazia outro peixe e

Leia Mais