Crontos, cônicas e afins

As telas, a liberdade e o medo Nascido em 1979, sou daqueles que tiveram o privilégio de crescer nas ruas, entre brincadeiras entremeadas por algumas trocas de sopapos, dentre outras coisas nem tão saudáveis, talvez até um pouco violentas. Mas o privilégio e as aventuras não terminam por aí. Essas

Leia Mais
Misérias poéticas de madrugadas insones

Lalíngua A língua é bela em seus movimentos Quando, sozinha, se deita no céu da boca Ou quando, com outra, se busca em mil tormentos Mas a língua é ainda mais bela quando escorrega E lambendo leve o desejo, goza em agonia Bem no ponto em que sua ponta toca,

Leia Mais
(des)levezas

De algumas formas contemporâneas de se violentar a democracia democratizando a violência[1] 1. INTRODUÇÃO Resgatar o sentido de palavras esgarçadas pelo senso comum nem sempre é tarefa fácil. Pelo contrário, trata-se de empreendimento que exige esforços capazes de romper com o que parece óbvio, com a força de afirmações que

Leia Mais
(des)levezasGeral

Os revolucionários do mesmo: sobre as mudanças que fazem tudo permanecer como está (Texto de 2014, o que prova que pouco avançamos…) A democracia brasileira é bem interessante. De tão frágil em suas bases – ela foi dada, e não conquistada, como quase tudo por aqui -, ao invés de

Leia Mais
Misérias poéticas de madrugadas insones

Panapaná Amanhã Por amor Faz-me entranha Enquanto revoam suas borboletas de dentro

Leia Mais
GeralRelicário

Animal emocional Robert de Andrade Meus inimigos são sempre mais sinceros que meus amigos. Quem disse que o que busco nos outros é a sinceridade? Clareza demais cega. Não adianta me mostrar o erro, se você ainda não acertou, nem me ensinar a ser politicamente correto, se vive infeliz na

Leia Mais
Misérias poéticas de madrugadas insones

Entre santos e dragões Sempre quis palavrear sobre o amor Amor que sinto Amor que deito Amor que tenho Amor que toma Amor que desejo Amor que gozo Amor que dou Amor que dói Amor que dois Amor que três Amor que mais Amor que traz Amor que esquenta Amor

Leia Mais
(des)levezasGeral

Algumas considerações sobre sujeito, lei, culpa e processo civilizatório[1] 1 Introdução Ainda não se descobriu outra forma de existência humana a não ser a compartilhada com outros seres humanos; e tal compartilhamento não se faz possível se não sob a mediação de alguma Lei[2] que se mostre suficientemente capaz de

Leia Mais
(des)levezas

Pai, afasta de mim este fala-se (versão pós-golpe – 2019)! Historicamente falando, há não muitos anos, brilhante intelectual – e músico – cantava “Pai, afasta de mim este cálice”, insurgindo-se contra a censura, a favor da liberdade de expressão. Porém, se então de tão gorda a porca não andava, hoje,

Leia Mais