Robert de Andrade

Depois de dois dias de trabalho em Catalão, no Estado de Goiás, segui para Uberlândia, onde passaria a noite e embarcaria no primeiro voo para Belo Horizonte, no dia seguinte, às 14:40. Fiquei em um Hotel no Bairro Santa Mônica, bem perto do centro, da prefeitura e do “shopping” como

Leia Mais
(des)levezasGeral

Manual prático de manipulação do ódio e da destruição Em termos psicanalíticos, toma-se o recalque como verdadeira garantia civilizatória. Noutras palavras, pode-se afirmar que os processos de recalcamento são a marca da civilização na subjetividade, na medida em que estabelecem os interditos que garantem o prosseguimento do trabalho de cultura,

Leia Mais
(des)levezas

Entre bestas e porcarias (…) Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem; pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em

Leia Mais
Relicário

A morte de Flaviosney *Por Andrey Régis Melo O Flaviosney nasceu em 2018. Era uma primavera de poucas flores para guardar a esperança no ventre. A seleção de futebol não encantou no país dos antigos comunistas, entretanto, a mãe tinha a esperança de que ele fosse o novo menino Neymar

Leia Mais
Misérias poéticas de madrugadas insones

Leminskando Embora tente fazer poesia deste resto que insiste, visceral, jamais serei Drummond ou João Cabral. Também seria presunção me aproximar de Adélia Prado, Manoel de Barros, Vinicius de Moraes. Presunção demais… Mas, não tem problema, não. Nas letras não vou tão mal e, afinal, desse resto que digo, nada

Leia Mais
Crontos, cônicas e afins

Zé, o mais novo sobrinho do Tio Sam[1]             José João da Silva – ou apenas Zé, para a maioria dos que o conheciam – era daqueles típicos brasileiros, o ilustre desconhecido, figurante no filme da história nacional. Tinha apenas o 2º grau e em sua carteira de trabalho constava

Leia Mais
GeralRelicário

Desconhecer Uberlândia Depois de dois dias de trabalho em Catalão, no Estado de Goiás, segui para Uberlândia, onde passaria a noite e embarcaria no primeiro voo para Belo Horizonte, no dia seguinte, às 14:40. Fiquei em um Hotel no Bairro Santa Mônica, bem perto do centro, da prefeitura e do

Leia Mais
Misérias poéticas de madrugadas insones

Palavra que lavra que livra que leva Palavra que prova que priva que parla Palavra que parece que vale que vela Por essas almas parvas parlêtres que, sem ela, não são.  

Leia Mais
(des)levezas

Terríveis, torpes e intermináveis trevas Não bastasse o extremo pesar diante da perda de uma das vozes que bravamente clamavam por luz neste país – no que registramos nossa homenagem ao grande Paulo Henrique Amorim -, ainda temos de lidar com proféticos atos falhos de um mi(n)to terrível e decrépito,

Leia Mais
(des)levezasGeral

Age, um Estado criminoso, em nome da Justiça?[1] Nunca é demais lembrar que um Estado de Direito se caracteriza pela autoimposição de limites racionais ao exercício do poder, tratando-se, assim, daquele que institui a lei para impedir que soberania se perverta em absolutismo, que o sujeito seja assujeitado pelo Estado.

Leia Mais