Posts In Category

Relicário

GeralRelicário

Não foram as fake news que elegeram o atual presidente As fake news têm só uma pequena parcela de culpa na vitória do candidato de extrema-direita, Jair Bolsonaro, ao posto de presidente do Brasil. Antes de dar seguimento ao texto, preciso esclarecer que estou unicamente me referindo ao termo que

Leia Mais
Relicário

Sibéria, 13 de dezembro de 2060. Andreiev Melochenko[1] Seis horas depois que Mr. Dalygnol havia saído do local, o assassino geneticamente produzido pela CIA estava descendo a Serra da Mantiqueira em trajes de alpinista. Os olhos esbugalhados do The Bishop eram assustadores, ele parecia carregar na retina todo o ódio

Leia Mais
Relicário

Sibéria, 13 de dezembro de 2060. Andreiev Melochenko[1] As filhas de Mr. More todos os anos levavam flores amazônicas para enfeitar o túmulo do pai. Eram as preferidas do velho que foi enterrado em Fort Worth, mítica cidade do Velho Oeste. Na lápide, a frase “God above all, USA above

Leia Mais
Relicário

Sibéria, 13 de dezembro de 2060. Andreiev Melochenko[1] Mr. More agora era o braço direito do BIG RED PIG, o avilanado chefe americano. Aguardava impassível na antessala. O ambiente era familiar, admirava os quadros e as esculturas, pensava nas batalhas, invasões, quedas de governo, guerras civis; refletiu sobre quantas vezes

Leia Mais
Relicário

Sibéria, 13 de dezembro de 2060. Andreiev Melochenko[1] Décadas depois, Mr. More chefiava o NCS (Serviço Nacional Clandestino) da CIA, ramo encarregado de operações secretas, responsável por golpes, atentados e estranhos assassinatos no globo terrestre. Havia se especializado em guerra não convencional, era autor do ‘Special Unconventional Warfare’. O manual

Leia Mais
Relicário

Parte Três – Pi Ulia Necras Sibéria, 13 de dezembro de 2060. Andreiev Melochenko[1] Duas semanas depois daquela noite de pouca excitação, os americanos seguiam em ritmo militar pela trilha. A formação emudecida seguia em marcha pelo íngreme terreno. Mr. More quebrava o silêncio quando reclamava das rochas que se

Leia Mais
GeralRelicário

Parte Dois – O Outro Monte Sibéria, 13 de dezembro de 2060. Andreiev Melochenko[1] Era um tradicional domingo carioca. Praia e sol arrefeciam os anos de chumbo. Dois ébrios torcedores flamenguistas discutiam o potente chute do ‘nove’ Cláudio Adão e o pênalti cobrado por Tita, ambos defendidos pelo goleiro Mazzaropi

Leia Mais
GeralRelicário

Parte Um – O Monte Roraima Sibéria, 13 de dezembro de 2060. Andreiev Melochenko[1] Os quatro paraquedistas realizaram um salto noturno. O pouso ocorreu sem alterações, apesar da pouca visibilidade provocada pela neblina. A dificuldade do SLOp noturno denota uma ação executada por profissionais experientes. Os velames foram recolhidos e

Leia Mais
Relicário

Parte Zero – A Verdade Por Trás Da Verdade Sibéria, 13 de dezembro de 2060. Por Andreiev Melochenko[1] As informações coletadas foram obtidas depois do ajuizamento de inúmeras ações por intermédio da Freedom Of Information Act, o que permitiu o livre acesso a diversos relatórios confidenciais classificados como ultrassecretos, ainda

Leia Mais
GeralRelicário

Morangos silvestres Por Robert de Andrade Eu pedi Você ficou de pensar Do lado de cá Também me peguei a pensar: Será que ela vai topar? Espero sentado Na confortável cadeira de vime Que eu mesmo restaurei Cuidado por Deus E vigiado pelo diabo, Comendo morangos silvestres Colhidos por Bergman

Leia Mais