Robert de Andrade
Author Archive

Robert de Andrade

Robert de Andrade nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, em 1980, e além do gosto pela literatura, sempre teve um profundo interesse por livros, na condição de objecto. Começou a ler bem cedo e tem predileção por autores russos e norte-americanos. Cursou Comunicação Social com ênfase em Produção Editorial, sendo o melhor aluno do curso. Na busca pela publicação de seus textos, criou, ao lado de Barroso da Costa e Cind Canuto, Os impublicáveis, dando visibilidade a textos de autores desconhecidos na internet e na revista do grupo (impressa e virtual). Como escritor já publicou contos e resenhas literárias em diversas antologias, sites e revistas. Em 2005 foi finalista do Prêmio SESC de literatura, na categoria romance, com a obra Os Especialistas.

Robert de Andrade

Não de hoje que muito brasileiro não leva política a sério. Fiquei mais surpreso com a reação daqueles que se colocaram contra a candidatura de Tiririca, do que com a possibilidade de vê-lo eleito deputado. Já tentaram até impugnar sua candidatura sob a alegação de que o humorista é analfabeto.

Leia Mais
Robert de Andrade

Com o avanço da nanotecnologia e a novas descobertas na física quântica o homem passou a se sentir ameaçado, o maior medo era de que o computador substituísse o ser humano. Aos poucos a ficção científica parecia estar deixando de ser ficção. A tecnologia sempre recorreu às ciências naturais, o

Leia Mais
Robert de Andrade

Pediu um trocado ao poste. Poste não tem nem dá esmola á ninguém, mas não é pior do que os que dão moedas miseráveis sem lhe olhar nos olhos; dão as costas e somem. Poste não tem costas e não foge dos pedintes. Fedem a mijo seco de cachorro, os

Leia Mais
Robert de Andrade

O conto “A compaheirinha” foi (im)publicado no livro “Sombras” da Editora Ideias Bizarras, em 2007. Agora ele acaba de ser traduzido para o espanhol, por Raquel Rezende. Confira abaixo a tradução e o original. Traducción: “La compañerita” “Mi compañerita se va.” Sólo sé de esto porque estoy leyendo esa frase

Leia Mais
Robert de Andrade

Meu pai me ensinou a trovejar Na hora certa pros demais engolir o choro Pra saber o motivo válido das coisas a reclamar Pois bom da vida é como ouro Tipo aquelas tardes que o sol pousa nas costas do mar Enquanto a maldade é querela que se sente no

Leia Mais
Robert de Andrade

Eu devia era me perder na vontade de ter o tempo todo, mas de quando em quando sou tomado por um desejo de desvendar o que me faz te buscar em tudo, a todo instante. A distância me causa a estranha impressão de te possuir, não como alguém que aguarda

Leia Mais
Robert de Andrade

Os super-heróis me ajudaram a entender que meus atos jamais teriam a magnanimidade necessária para salvar a humanidade do “mal”, ou seja, eu não vou conseguir mudar o mundo. Não o mudei, no entanto não deixei de tentar. Mais tarde, depois de matar o super-homem e o homem-aranha, voltei a

Leia Mais
Robert de Andrade

Um amigo me disse que a cena mais bizarra de Pink Flamingos “é aquela transa no meio das galinhas”. Minha mulher diz que a transa bestial não é nada perto da “dança do cu”. O vendedor de ovos, o aniversário de Divine, a antropofagia grupal… Não adianta tentar encontrar a

Leia Mais
Robert de Andrade

A matéria do sonho pode ser sentida, tocada ou até mesmo trazida para nossa suposta realidade. No entanto, o domínio sobre este campo da abstração requer uma longa jornada; deve-se ter uma vida miserável ou, no mínimo, monótona, a ponto de rejeitar a vida repetitiva que incide sobre nós quando

Leia Mais