Barroso da Costa
Author Archive

Barroso da Costa

Crontos, cônicas e afins

Praça Sete, região central de Belo Horizonte, 9:00 horas. Dirijo-me para o serviço enquanto converso ao celular. O burburinho é ensurdecedor. – Marque a reunião para as onze… Uma buzina prolongada. – Hein, Marcelo? Não escutei, me desculpe… Eu… Freada brusca. – Hein? É… eu tô no Centro… Sei… Sei…

Leia Mais
Relicário

“Tem dois inimigos: o primeiro ameaça-o por trás, desde as origens; o segundo fecha-lhe o caminho para diante. Luta contra ambos. Na realidade, o primeiro apóia-o em sua luta contra o segundo, quer impeli-lo para diante e da mesma maneira o segundo o apóia em sua luta contra o primeiro,

Leia Mais
Crontos, cônicas e afins

F.D.P.[1] Já podia ouvir o barulho das sirenes que se aproximavam do pé do morro. F.D.P. passou a mão na barriga e percebeu que o sangue não parou de descer. Não dava mais para correr, sentia-se cansado. Só podia ficar ali, sentado no canto escuro do Beco da Saudade, que

Leia Mais
Crontos, cônicas e afins

Aposentadoria[1]                     Raimundo Pereira da Silva é mais um dos rostos na multidão que habita uma das capitais de um grande estado que faz parte de um grande país.             Todos os dias, Raimundo acordava às cinco e meia da manhã, pegava o metrô e mais um ônibus, chegando à

Leia Mais
(des)levezas

Donos do poder, manipuladores de sentidos e usurpadores de realidade: o Brasil através do espelho[1] Nada mais humano que a palavra, justamente o fio com que nos orientamos no mundo ao tecermos uma realidade apartada da natureza. Noutros termos, se a consciência de nossa existência nos libertou de um eterno

Leia Mais
(des)levezas

Dos limites do direito e sobre como gostamos de ser enganados[1] Tratando de alguns vezos do legislador penal latino-americano, em seu “Em busca das penas perdidas”, Zaffaroni o equipara ao caçador paleolítico, que espera capturar sua presa assim que a desenha na parede de sua caverna[i]. A analogia é excelente,

Leia Mais
(des)levezas

De vinganças públicas e justiças privadas: o fetiche punitivista e o colapso do estado de direito[1] O estado de incerteza e insegurança causado pelo atual cenário político, econômico e social permitem dizer que a democracia brasileira talvez enfrente sua pior crise desde a promulgação da Constituição de 1988. Os tempos

Leia Mais
(des)levezas

Nossa expulsão do paraíso[1] Uma das coisas mais interessantes sobre as quais a Psicanálise me fez pensar diz respeito à nossa expulsão do Paraíso. Isso mesmo. Sobre aquele lance de comer a maçã proibida e, a partir de então, ter vergonha de nossos corpos nus, ter de trabalhar para comer,

Leia Mais
(des)levezas

Seres à beira do abismo[1] “Já perscrutamos bastante as profundezas dessa consciência e é chegado o momento de continuarmos a examiná-la. Não o fazemos sem emoção ou estremecimento. Nada existe mais terrível que esse tipo de contemplação. Os olhos do espírito não podem encontrar em nenhum lugar nada mais ofuscante,

Leia Mais
Misérias poéticas de madrugadas insones

Nada Isso que me faz desejar tudo Menos o nada Nada que já tenho fundo E, se tudo tivesse, Nada desejaria Não seria Esse tudo ou nada – a ter Esse nada e tudo – a desejar.

Leia Mais